quinta-feira, 15 de julho de 2010

CNC debate alternativas para transporte urbano

Dando prosseguimento aos maacrotemas da Confederação Nacional do Comércio (CNC), o Conselho de Turismo da entidade recebeu ontem o consultor em acessibilidade Edson Passafaro e o diretor do Trem do Corcovado, Sávio Neves, para falar sobre infraestrutura turística e megaeventos tendo como foco o tema mobilidade e acessibilidade.

Passafaro mostrou as dificuldades de pessoas que possuem mobilidade reduzida, que hoje já representam 14,5% da população brasileira. “O número de pessoas no Brasil que possuem algum tipo de deficiência já é maior que a população da Austrália, por exemplo. Além disso, nossa população está envelhecendo, e, portanto, terá maior dificuldade de mobilidade”, alertou.

Segundo ele, o País tem normas técnicas e leis que regulamentam que todas as edificações devem atender ao que se chama desenho universal. “Apesar deste ítem ser exigência para a concessão do alvará, não há fiscalização e portanto, não é respeitado”, avaliou.

Já Sávio Neves falou da dificuldade de mobilidade dentro da cidade do Rio de Janeiro, e da necessidade urgente de modificar os modais de transporte público. Segundo ele, a população é refém de um sistema que não atende suas necessidades, afetando de modo geral a habitação, cultura, educação, saúde e segurança de todos.

Sávio Neves defende a necessidade de integração do sistema de transporte público, principalmente através de trilhos. Segundo ele, o atual projeto de uso dos Bus Rapid Transit (BRT) ônibus articulado não resolverá o problema, mesmo porque as principais vias de acesso deverão perder uma faixa na adaptação, em locais que já ocorrem congestionamentos.

O dirigente defendeu a idéia de implantação além dos BRTs de barcas, transporte lacustre (bacia hidrográfica de Jacarepaguá) e a necessidade urgente de estações de embarque/desembarque de ônibus de fretamento. “Atualmente não há na cidade locais determinados para que os ônibus de turismo possam com segurança e conforto prestar um serviço adequado aos visitantes”, disse Neves.

Neves defendeu principalmente a implantação do aeromóvel, sistema de transporte automatizado, que opera em via elevada. O sistema caracteriza-se por operar veículos menores, porém com alta frequência, possui baixo custo de implantação e operação, ocupando um reduzido espaço no centro urbano, emprega o princípio exclusivo da propulsão pneumática, viabilizada por um fluxo de ar de baixa pressão e alta vazão, o que torna as perdas suficientemente baixas, e sistema energeticamente competitivo.

Fonte: Panrotas

Nenhum comentário:

Postar um comentário