quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

As áreas mais promissoras para abrir um negócio em 2011

Conheça os oito setores indicados por especialistas como boas oportunidades para um nova empresa

Exame.com

São Paulo – Com o frenesi que a Copa do Mundo e a Olimpíada já estão provocando no país, algumas área estão aquecidas e podem ser promissoras para o desenvolvimento de novos negócios. Um estudo feito pelo Programa de Estudos do Futuro da Fundação de Instituto de Administração (Profuturo/FIA) indicou que há uma expectativa geral de aumento da participação das atividades empreendedoras e o setor de serviços deve ser o que vai render os melhores negócios nos próximos 20 anos.

Áreas como saúde, turismo, alimentação e consultorias estarão em evidência. Terceira idade, sustentabilidade e planejamento financeiro são temas que também devem se destacar em 2011. “Numa forma geral, todas essas são ótimas oportunidades de investimento na próxima década”, explica o diretor superintendente do Sebrae-SP, Ricardo Tortorella.

1. Serviços
Tortorella ressalta que, mesmo sem os grandes eventos esportivos, o país, em especial a cidade de São Paulo, já teria um incremento na demanda por serviços, o que indica um aumento no potencial desses tipos de negócios. “Nos últimos dez anos o setor de serviços crescia a 27% ao ano. Desde 2005, tem crescido 38% ao ano”, justifica. “Os eventos vão acelerar essa grande tendência”, justifica.

2. Infraestrutura
Outro ponto que independe de Copa ou Olimpíada é a infraestrutura. As obras do PAC e do pré-sal se mantém e apesar das pequenas empresas não participarem diretamente, há muito espaço para negócios. “A construção civil e quem atua ou presta serviço nessa área tem potencial de crescimento com obras públicas, rodovias, metrôs e linhas rodoviárias e ferroviárias”, opina Dariane Castanheira, professora do Programa de Capacitação da Empresa em Desenvolvimento da Fundação de Instituto de Administração (PROCED-FIA). “Tem uma quantidade de serviços enorme que pode e deve ser produzida por empresas de pequeno porte”, diz Tortorella.

3. Turismo
O Brasil é a bola da vez no cenário internacional e vai estar em evidência com os eventos esportivos. As empresas que quiserem aproveitar a demanda de turistas no país já precisam começar a se preparar. “Hotelaria, gastronomia, turismo e promoção de eventos são oportunidades”, afirma Dariane. Para o executivo do Sebrae, alimentação e alojamento de uma forma geral são setores muito fortes. Aluguel de veículos e gráfica também podem entrar nesta categoria.

4. Apoio a outros negócios
“Com as mudanças nas regras contábeis, falta mão de obra especializada e eu vejo um grande crescimento nesta área”, diz Dariane. As áreas de consultoria de negócios, marketing e comunicação devem ter um bom desenvolvimento desde que o consultor tenha experiência e consigo entregar um serviço adequeado às outras empresas. “Existe uma demanda mas não sei se ela vai ser cumprida”, explica a professora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário