quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Tipo de turista precisa mudar

Governo e Município se empenham em novos empreendimentos, que venham a mudar o perfil do turista estrangeiro

Baladas na madrugada são conhecidas 
pelos estrangeiros em busca de mulheres 
e drogas na Praia de Iracema
FOTO: NATINHO RODRIGUES
A necessidade de mudança do perfil do turismo no Ceará é uma prioridade para os governos Estadual e Municipal. Essa é a conclusão de secretários e membros da cúpula de respectivas administrações, que entendem não mais ser tolerável que a atividade não atraia famílias em maior número que pessoas em busca de aventuras sexuais, e que esse turista não esteja à altura dos equipamentos disponíveis no Ceará.

Essa é a avaliação do titular da Secretaria de Turismo do Estado (Setur), Bismark Maia. Para ele, os investimentos que a administração Cid Gomes vem desenvolvendo no Estado, como o amplo apoio à infraestrutura e a criação de atrativos turísticos de primeira linha, como o Centro de Eventos e do Acquário, possibilitarão que no futuro o turismo Ceará não tenha vinculações tão fortes com a prostituição e o comércio ilegal de entorpecentes.

Em tempos de baixa estação,
a oferta de mulheres chega a ser
maior que a demanda.
Mas os pontos ficam mantidos
"A Setur tem investido grandes somas de recursos na divulgação e na instalação de novos equipamentos. O problema da degradação moral ocorrida nos principais cartões postais do Estado decorre de outros fatores em que a economia e o social necessitam de uma atenção específica", afirmou Bismark.

Questões

O titular da Setur observa que as questões levantadas pelo Diário do Nordeste, em que revelam um tipo de turismo maléfico e condenável do ponto de vista moral, não é uma exclusividade de Fortaleza e nem do interior do Estado.

"Estamos familiarizados com lugares refinados e tidos como os mais evoluídos em que as pessoas oferecem drogas. Não concordamos com essa prática e nem utilizamos isso como pretexto para que a situação perdure", afirmou o secretário.
Os pontos de prostituição se
espalham no entorno das
boates, buscando uma clientela
ávida pela oferta de sexo

Ele disse que várias medidas já foram adotadas na gestão do governador Cid Gomes. Uma delas foi não mais apoiar os voos charters, que se tornaram notórios por transportar apenas estrangeiros do sexo masculino e , na sua grande maioria, ávidos por sexos e drogas.

Essa decisão, conforme conta, deixou de ter apoio de alguns segmentos, inclusive o hoteleiro, que deixaram de contar com a clientela no período da baixa estação.

"O governador tem sido enfático que devemos mudar o nosso perfil, e para isso estamos trabalhando com outras companhias aéreas, já com tradição de trabalhar com uma clientela mais seletiva", afirmou Bismark, se referindo ao recente voo inaugural da Companhia Iberia.

Ponto de prostituição na Praia
de Iracema é um desafio para
as autoridades, que não evitam
a influência negativa das boates
Bismark reconhece que muito embora essa situação seja comum a outros centros turísticos, tem uma relevância especial para um Estado, onde as atividades econômicas, como a indústria e agropecuária, não são tão desenvolvidas quanto os serviços e, particularmente, o turismo, quer o doméstico ou o internacional.

No entanto, ele nega que a prática atual seja capaz de afugentar famílias. Ele explica que pesquisas requeridas pelo órgão da administração direta do Estado apontam que não apenas famílias tem chegado em maior número ao Ceará, como também houve um considerável aumento do poder aquisitivo desses grupos de visitantes.

"Na verdade, estamos apenas iniciando um processo de mudança. Muita coisa deverá mudar, com a instalação do Acquario do Ceará e com a conclusão do Centro de Eventos. Com isso, garante que são grandes as perspectivas de maior fluxo de visitantes, mesmo em período de baixa estação.

Mãos amarradas

A Prefeitura, através da Secretaria de Turismo de Fortaleza (Setfor), por sua vez, também afirma que não está de mãos amarradas no enfrentamento do problema. Uma das ações destacadas pela administração municipal tem sido a participação de blitze juntamente com as equipes do Gabinete de Gestão Integrada, formada por 18 instituições, entre órgãos federais, estaduais e municipais, no sentido de combater a exploração sexual de crianças e adolescentes, além do favorecimento da prostituição.

Através de e-mail, a Setfor informa que outra ação destacada para enfrentamento da exploração sexual de crianças e adolescentes, nos principais corredores turísticos da cidade, incluindo a Praia de Iracema, diz respeito à sensibilização do problema junto ao trade local.

Nesse sentido, explica que foi dado início inclusive a uma Campanha de Prevenção à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes no Turismo de olho na Copa do Mundo de 2014, intitulada: "Um gol pelos direitos de crianças e adolescentes";

A campanha, de acordo com a nota da Setfor, contribui significativamente para reforçar a importância da realização constante de ações ligadas ao enfrentamento à exploração sexual de crianças e adolescentes, mobilizando toda a cidade.

CPI NA CÂMARA
Vereadora pretende investigar denúncia

A vereadora Eliana Gomes (PC do B) considerou grave a problemática da prostituição e consumo de drogas no litoral do Ceará. Ela se referiu à série de reportagem publicada segunda e terça-feira passadas, dando conta sobre o processo de degradação nos corredores turísticos do Estado, em decorrência de práticas criminosas.

Eliana disse que vai provocar uma reunião dos vereadores com a mesa diretora, no sentido de se avaliar sobre a possibilidade de instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar as denúncias de exploração sexual relacionada com a atividade turística.

De acordo com a Eliana, o colegiado deve marcar também uma audiência com o presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, o vereador Acrísio Sena (PT). "Nosso intuito é que se discuta com todos os envolvidos, e já estabeleçamos uma estratégia para que essa situação não se repita até a Copa de 2014", disse a vereadora.

Enquanto isso, Ciro Albuquerque (PTC) questionou a falta de investimento da Prefeitura no litoral da cidade, o que teria causado a saída das famílias das praias e atraído a prostituição e o consumo de drogas.

O vereador lembrou ainda que o Centro de Eventos e o Acquario, que são propostas do governo estadual para melhorar o turismo local, podem ajudar, "mas seria necessário reeducar tanto a população como os turistas que veem o município de Fortaleza como uma cidade para a prática do prostiturismo", afirmou.

O presidente da Comissão de Turismo da Câmara, Gelson Ferraz (PRB) informou que dará uma atenção especial para o tema, a fim de que se discuta os rumos que se devam tomar, em favor de uma atividade sustentável. Pastor evangélico, lamentou a degradação moral e disse que o compromisso com as mudanças deve ser assumido por toda a sociedade.

Utópico

Enquanto isso, a promotora de Justiça, Edna da Mata, afirmou se tratar de um problema antigo e que é utópico pensar em se combater apenas com o aparelho repressor. "Toda essa prática é alimentada pela questão econômica", ressaltou.

Lembrou que fechar e abrir boates não tem resolvido, diante da habilidade dos proprietários. "Quando há uma ação, eles rapidamente mudam de nome, colocam os negócios em nome de laranjas e não conseguimos chegar nos chefes", disse. Ela lembra que esse trabalho, inclusive, tem se intensificado com a mobilização do GGI.

EMPRESÁRIO CONTESTA DENÚNCIA
Prostiturismo é tiro no pé

O empresário e diretor da de Espetáculos Pirata, Rodolphe Trindade, disse que há exageros em pontuar o Ceará como um centro do prostiturismo. Para ele, essa associação equivale ao Ceará "dar um tiro no pé", o que acaba se voltando contra a própria atividade desenvolvida no Estado.

"O prostiturismo foi uma denominação dada pelo povo daqui, que existe em todo canto, e com maior quantidade do que Salvador, Recife e Rio de Janeiro. Acho que essa denominação foi bastante exagerada e entendo que o cearense deu um tiro no pé, porque afirmar que aqui é o lugar campeão do turismo sexual não é verdade", salientou, o diretor do Pirata, que promove uma das mais animadas segundas-feiras do planeta, como diz a propaganda da Casa.

Para o empresário, houve grandes melhoras na qualidade do turismo praticado no Ceará, e que não vem ganhando destaque. "Todo lugar tem cabaré. Podemos tirar as casas que favorecem as prostituição da Praia de Iracema, mas a questão seria onde ficariam?, indaga.

Com relação as drogas, ressalta que essas são fáceis de encontrar em qualquer lugar do mundo. "De certo maneira, estamos criando um estigma de que o estrangeiro vem para cá somente para isso. Não é verdade. Há muitos turistas, homens, mulheres, idosos e crianças que vêm ao Ceará e não é com essa finalidade. Quem vem para fazer isso é uma minoria, que é fácil de controlar. Não é porque existem quatro cabarés na Praia de Iracema que Fortaleza virou um pandemônio, uma espécie de Sodoma e Gomorra. Se a gente andar pelo calçadão de Copacabana, pelo amor de Deus... Se a gente for andar por Barcelona se vê um cabaré gigante, é nojento. E as pessoas vão para lá mortas de satisfeitas, achando que aquilo ali é lindo e maravilhoso. O que temos que fazer é melhorar os nossos conceitos. Se há alguma coisa incomodando temos que tirar e ter vontade política para provocar mudanças", enfatizou o empresário.

"Querendo ou não, temos gente de todas as classes sociais que estão vindo para Fortaleza. Por que o preconceito? Isso significa que o brasileiro está viajando mais e temos como receber diferentes públicos", disse.

Trindade reconhece que o esvaziamento da Praia de Iracema trouxe grandes prejuízos para os comerciantes daquela região, mas acredita que decorreu na demora da execução de obras que visavam uma requalificação do bairro.

Diario do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário