quinta-feira, 17 de março de 2011

Alcatel-Lucent aponta Brasil como destaque nos negócios da AL

Executivos da empresa aconselham canais a focarem o trabalho em soluções de infra-estrutura e no mercado hoteleiro

O crescimento da economia e a realização de eventos como a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos fazem com que o Brasil seja um país estratégico nos negócios da Alcatel-Lucent na América Latina. Sérgio Ledesma, que acaba de assumir a diretoria da recém-criada Sales Development Organization, dedicada a impulsionar o trabalho com canais, assegura que nos próximos cinco anos o país deve oferecer mais oportunidades de negócios, se comparado com outras regiões.

"Queremos treinar os parceiros e unificá-los sob um programa de canais único para que, assim, eles possam aproveitar essa expansão da melhor forma", diz o executivo que, antes de assumir o posto na Alcatel, atuou durante cinco anos como consultor externo da Genesys. Ainda de acordo com ele, o maior desafio de unificar os programas de canais está relacionado com o fator humano e com a necessidade de estabelecer regras claras para todas as empresas dos diferentes países.

Ele explica que o processo de unificação teve início no ano passado e será aprimorado neste ano para que, em 2012, os parceiros estejam preparados para oferecer toda a gama de soluções da companhia.

Já Nuno Riba, gerente de canais no Brasil, explica que a idéia é manter a quantidade de parceiros na rede indireta, não fechando novas alianças e tampouco descredenciando canais. "Queremos integrar totalmente os mundos da Alcatel e da Genesys, assim como ambas culturas de fazer negócios", diz o executivo, lembrando que a Alcatel-Lucent conta com quatro distribuidores e 50 integradores no Brasil. O gerente também assegura que o crescimento da companhia no país será de dois dígitos, neste ano.

Riba está de acordo com Ledesma no sentido de que, nos próximos cinco anos, o Brasil passará por um período de expansão significativa. E os canais interessados em aproveitar esse crescimento devem mirar mercados como o de infra-estrutura, o setor hoteleiro, de turismo e governo. 

por Christina Queiroz, especial para o Reseller Web

Nenhum comentário:

Postar um comentário