terça-feira, 8 de março de 2011

Faturamento de Carnaval com cara de alta temporada

Restaurantes, barracas de praia e hotéis mantêm o mesmo efetivo da alta estação para atender à demanda que chega à Capital. A expectativa de faturamento chega a ser o dobro dos lucros obtidos em dias habituais

Se o comércio informal lucra com o Carnaval cada vez mais badalado de Fortaleza, imagine o que faturam restaurantes, barracas de praia e hotéis. O número de turistas na Capital, durante o período momino, é crescente. Em relação ao Carnaval de 2010, recebemos 13,3% visitantes a mais, segundo pesquisa da Secretaria do Turismo do Ceará (Setur-CE).




A estimativa da secretaria é que os 124 mil turistas que passarem pelo Estado gastem R$ 198,6 milhões, o que desencadeará R$ 347,5 milhões em renda para a cadeia produtiva do turismo, desenvolvendo 54 setores da economia do Estado.

Um dos setores diretamente afetados é o hoteleiro. Em Fortaleza, devem ficar 67.016 turistas, desfrutando dos hotéis da cidade, segundo a Setur. A uma semana do Carnaval, 97% dos 26 mil leitos de hotéis da Capital já estavam reservados. No ano passado, a ocupação ficou em 90,17%.

“Os números surpreenderam. Acho que o fato de o Carnaval ser em março ajudou muito. As pessoas já pagaram as dívidas de fim de ano e puderam viajar”, afirma o presidente da Associação Brasileira de Hotéis do Ceará (ABIH-CE), Régis Medeiros. Ele argumenta ainda que janeiro e fevereiro de deste ano tiveram ocupação menor que do ano 2010.

Lucro dobrado
A Praia do Futuro espera receber 200 mil pessoas, entre a quinta-feira véspera de Carnaval e a Quarta-feira de Cinzas. São 85 barracas que devem faturar juntas R$ 2 milhões, segundo a Associação do Empresários da Praia do Futuro.

“É um movimento de 60% a 70% maior que os dias normais”, diz a presidente da Associação, Fátima Queiroz. A barraca Vira Verão, por exemplo, espera dobrar os lucros no período. “Entre segunda e terça-feira, esperamos receber 8 mil pessoas, por isso mantivemos o mesmo efetivo da alta estação”, afirma o supervisor da barraca, Lucas Germano.

Para se ter ideia, no dias mais movimentados, 4.320 garrafas de cervejas são vendidas a R$ 4,50. Só com a bebida, a barraca tira R$ 19.440, num dia.

Neste ano, 70% dos bares e restaurantes da cidade também decidiram ficar abertos para lucrar. “O faturamento deve ser 15% que o apurado em dias sem folia”, afirma o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do Ceará, Augusto Mesquita.

O Colher de Pau, por exemplo, ficará aberto todos os dias com programação música sertaneja para os turistas do Sudeste e Sul. “Esperamos 700 pessoas por noite”, diz o chefe de salão Gutenberge dos Santos.

“Por isso, a tendência é investir sempre mais na promoção do Carnaval de Fortaleza como produto turístico, sem intenção de nos igualar aos carnavais tradicionais, mas como proposta de lugar para quem quer descansar, mas que também quer curtir”, explica o coordenador da Secretaria de Turismo de Fortaleza, Rafael Felismino.

E agora
ENTENDA A NOTÍCIA

Com tanto turista chegando pela cidade e fortalezense permanecendo na Capital durante o Carnaval, empresários veem oportunidade de lucrar. A expectativa agora é para saber se conseguirão atender bem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário