terça-feira, 1 de março de 2011

Nuvem estimula criação de 2,2 milhões de novos empregos na Europa

A EMC divulgou na semana passada, os resultados do estudo Cloud Dividend Report, que aponta os impactos da adoção da computação em nuvem na economia europeia. De acordo com o estudo, se as cinco economias mais fortes da Europa – Alemanha, Espanha, França, Itália e Reino Unido – continuarem adotando o cloud computing, serão gerados US$ 243 milhões em investimentos por ano na região, até 2015.

Uma parte deste volume – US$ 101 milhões – será gerada por conta de novas oportunidades em desenvolvimento e criação de novos negócios, diz o estudo, que também analisou o impacto que nuvem terá em segmentos verticais até 2015. Um dos fatores-chave para a recuperação da economia europeia será a criação de empregos e, neste ponto, o estudo da EMC prevê que, por conta do cloud computing, a região deverá criar 446 mil novos empregos por ano daqui até 2015.

Levando em conta o fato de o uso do conceito dispensar as empresas de comprar e manter sistemas e aplicativos, o estudo calcula que os benefícios advindos daí devem ultrapassar a casa do bilhão de dólares. Por outro lado, as reduções de custos entre 2010 e 2015 devem chegar a US$ 193 bilhões.

Os setores de distribuição, varejo e hoteleiro serão os maiores beneficiados pelo uso da nuvem na Europa, com investimentos de US$ 320,5 bilhões e criação de cerca de 355 mil empregos. Já o setor de serviços financeiros deve investir algo em torno de US$ 253 bilhões em nuvem, seguido por governo, educação e saúde, com investimentos de US$ 155 bilhões.

Sobre o uso da nuvem pelos países, a Alemanha deverá ter maior adoção, seguida pela França, Itália, Reino Unido Espanha. De acordo como estudo, até 2015 o cloud computing deverá movimentar, em 2015, US$ 68,2 bilhões na Alemanha; US$ 51,4 bilhões na França; US$ 48,3 bilhões na Itália; US$ 41,3 bilhões no Reino Unido; e US$ 34,7 bilhões na Espanha.


Nenhum comentário:

Postar um comentário