quarta-feira, 9 de março de 2011

Para Cabral, superlotação de hotéis é 'um doce problema'

Governador do Rio lembrou que o desafio é chegar a 40 mil quartos em 2016

A superlotação dos hotéis do Rio e a tendência de alta fizeram o governador do Rio, Sérgio Cabral Filho, festejar o problema. Mas o político ressaltou que a escassez de quartos na cidade estará sanada em 2016 para que os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos possam transcorrer normalmente.

– Hoje temos menos de 2% de ociosidade de aluguel ou venda de salas comerciais do Rio. Isso é praticamente zero. Os blocos e as ruas estão cheios. O Rio é isso. É o lugar do convívio da diferença, da pluralidade e, para isso, atrair investimento é fundamental – disse o governador.

Cabral admitiu que a tendência é a cidade receber um número crescente de turistas, por causa da proximidade da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016. Mas destacou que o prefeito carioca Eduardo Paes tem agido corretamente em seu programa de estímulo ao setor hoteleiro.

– Há duas semanas recebi o CEO (presidente) do grupo Hyatt, Mark Hoplamazian. Eles já compraram um terreno na Barra da Tijuca (Zona Oeste) para um projeto de 450 apartamentos e estão de olho no leilão do antigo Hotel Nacional (em São Conrado, Zona Sul). E há várias bandeiras nacionais e internacionais dispostas a vir para o Rio de Janeiro – frisou Cabral.



O governador do Rio lembrou que o desafio é chegar a 40 mil camas em 2016. Mas ressaltou que o número será complementado com hospedagens em navios de cruzeiro, como fizeram Sydney (AUS),em 2000, e Atenas (GRE), em 2004.

– Chegaremos próximo ao número necessário e complementaremos com navios. Mas esse é um doce problema que temos de enfrentar – resumiu o governador fluminense.

Nenhum comentário:

Postar um comentário