terça-feira, 17 de maio de 2011

Gary Garrabrant quer duplicar empresas no País em três anos

Fortaleza - Gary Garrabrant, o CEO e co-fundador do Equity International, empresa do bilionário norte americano Sam Zell, anunciou o interesse em aumentar sua fatia de empresas no mercado brasileiro. Hoje, o investidor conta com 60 empresas por aqui, entre eles, a BRMalls e a Gafisa. A expectativa do mega empresário é duplicar este número nos próximos três anos e chegar em até 140 empresas.


"Há muitas oportunidades de negócios no Brasil hoje em dia", disse o executivo. Entre os destaques para investimento, ele apontou os condomínios industriais, estacionamento e negócios relacionados a agricultura, como armazenamento de grãos, além da hotelaria. "No momento não temos investimentos no setor hoteleiro, mas achamos inevitável ter, pois existe uma carência de leitos e estamos em busca de oportunidades", concluiu.


Entre os problemas encontrados no Brasil, o executivo lamentou a falta de infraestrutura e os juros altos que, juntos, afugentam muitos investidores para o País. "Há alguns anos o mundo viveu uma grande crise econômica e eu via muitas pessoas desesperadas. Eu pensava no Brasil, um País que ainda tem muitos problemas de violência, mas tem um grupo de parceiros sérios. Naquele momento, países que tiveram fácil acesso ao endividamento como os Estados Unidos, Europa Ocidental e Japão foram duramente atingidos pela crise financeira global, ao passo que os países sem acesso a esse tipo de capital, como o Brasil, foram relativamente poupados", diz Garrabrant.


Com relação às obras de infraestrutura, já previstas pelo Governo Federal em parceira com os Estados será um passo importante para a atração de novos investidores. "Todos os aeroportos do país precisam ser atualizados e ampliados. Não adianta fazer pequenas adaptações. O Brasil precisa partir para um patamar de alta classe. O Aeroporto de São Paulo/Guarulhos é o pior do mundo nesse aspecto. Em uma de minhas chegadas ao País tive vontade de voltar para o avião. Era uma segunda-feira pela manhã e a fila para o controle de passaportes demorou duas horas e meia. Isso é horrível para a imagem do país", lamentou.

http://www.dci.com.br/Gary-Garrabrant-quer-duplicar-empresas-no-Pais-em-tres-anos-9-373933.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário