quinta-feira, 2 de maio de 2013

Hotéis: propósito ou investimento?

Cezar Nogales
contato@snhotelaria.com.br
Sempre que empreendedores e investidores me consultam para elaborar um estudo de viabilidade em hotelaria faço sempre uma pergunta crucial: Para quê você quer um Hotel?
As respostas sempre são das mais variadas, desde: “eu sempre tive vontade” até o “dá boa margem de lucro” e de acordo com a resposta pode-se definir que tipo de hotel será no futuro caso o empreendedor/investidor entre para o mundo da hotelaria.

Factualmente há apenas três tipos de empreendedores/investidores, os que sempre tiveram vontade de entrar na hotelaria, pois adoram trabalhar com pessoas, os que vêm à hotelaria como um investimento seguro e os que querem ter acesso ao poder público. Hoteleiros em seu âmago sejam por um dos motivos citados acima, acabam tendo um empreendimento em que deve ter uma conotação tríplice: a de se relacionar com uma variedade de pessoas, a de ter um empreendimento seguro e de ter acesso ao poder público levando a compreensão de que meios de hospedagem tem o mesmo grau de importância tanto a excelência no atendimento ao hóspede, quanto a lucratividade do investimento.

A Importância do Hóspede
Nenhum meio de hospedagem sobrevive sem que haja excelência no atendimento ao hóspede levando-o de encontro a excelência na hospitalidade de seus serviços, vejam a lógica da questão; quando somos atendidos em um hotel, o que mais vale é a cortesia, presteza e hospitalidade pelo qual hóspedes são recebidos uma vez que a maioria dos hotéis está em paridade tecnológica e decorativa a grande diferença se dará justamente no trato com as pessoas e na categoria em que estão inseridos.

Sendo ou não sendo um líder nato, capaz de direcionar seus colaboradores, caso o empreendedor ou a figura do gerente geral se comporte como um ditador terá apenas o atendimento realizado por soldados, de forma fria e calculista com o foco somente no resultado mecânico de seus serviços, ou seja, tempo de arrumação das UH’s, tempo de atendimento ao hóspede, quanto está rendendo cada hóspede, em geral, este tipo de empreendimento apenas sobrevive quando o mercado está aquecido onde não há grande concorrência.

O motivo desta sobrevivência se da devido a que todas as pessoas preferem pagar mais pelo atendimento que recebem nos hotéis e quando pagam a mais por isso, com certeza exigirão mais dos serviços hoteleiros uma vez que terão grandes expectativas geradas.
Devemos lembrar que sem hóspede não há hotel e preço nunca é tudo quando se tratam de expectativas, Dale Carnegie coloca corretamente quando diz: “Ao lidar com pessoas, lembre-se de que você não está lidando com seres lógicos, e sim com seres emocionais”.

A Importância do Investimento
Qualquer negócio que se implante deve obrigatoriamente se ver como um investimento e avaliar cada ponto de seu resultado, meios de hospedagem, podem ser classificados como prestadores de serviços e fornecedores de produtos ao mesmo tempo, tanto que a Nota Fiscal emitida é conjugada (pode ser usada para serviços e produtos) e de fato, hotéis numa visão mais ampla, podem ser varias empresas contidas em uma só uma vez que os serviços de hospedagem tem um perfil de operação e cliente, os serviços com alimentos e bebidas tem outro perfil de operação e cliente, os serviços de eventos tem outro perfil de operação e cliente e assim por diante.

Cada serviço que o hotel atrela em sua bagagem devem ser administrados e gerenciados independentemente um do outro e em conjunto uníssono, é por este motivo que a terceirização de um deles nunca gera satisfação, tanto para o hóspede quanto para o hotel.
Quando falamos de investimento por si só, é colocado em segundo plano o hóspede que acaba se tornando um número uma vez que em primeiro plano está o retorno do capital investido.

Vejam o exemplo quando se trata de hotel, de fato, um empreendimento hoteleiro é considerado como imóvel no âmbito econômico/financeiro e o retorno imobiliário comercial tem uma média de 4.69% por trimestre (fonte IGMI-C FGV 2012-4) um empreendimento deste porte na atualidade, pode chegar a dar o retorno entre 5,64% a 6,59% trimestrais dependendo de como é feita a sua administração.

Importância de acesso ao poder
Hotéis, por assim dizer, tem uma naturalidade quando se trata de relacionamento, e com certeza o poder público se relaciona com este negocio de varias maneiras, haja vista tudo o que se tem feito com relação à copa do mundo e as olimpíadas, é o primeiro setor a ter normas para funções, é o setor que atualmente tem o maior capital disponível de empréstimo do BNDES, é o setor que movimenta economias onde não há a possibilidade de uma economia agrícola ou industrial, é a primeira necessidade quando se trata de grandes empreendimentos governamentais como construções de barragens, bases petrolíferas, mineração e historicamente falando, houve até presidentes que deram 7 anos livre de impostos para que a hotelaria se fortalecesse no Rio de Janeiro, enfim, donos de hotéis por assim dizer, acabam se relacionando intimamente na esfera do poder público, seja pelo lado econômico, seja pelo lado social, hotéis impulsionam mercados e facilita o relacionamento.

Qual o tempo de vida de um meio de hospedagem?
Hoteleiros quando compreende esta tríplice necessidade fazem de seus hotéis verdadeiros empreendimentos centenários, haja vista a rede Ritz, ou mesmo a Hilton e porque não citar o Grande Hotel Minas Wine (1886) em operação até hoje, contudo, quando há apenas a compreensão e a gestão baseada em apenas uma desta tríplice, sua vida não passa de 10 anos principalmente quando se é tratado somente como investimento.

Logo, vale lembrar que empreendimentos centenários nunca estão fora de moda ou deixam de se atualizar, sempre são ponderados em sua gestão, mantem-se rígidos em certos aspectos e nunca deixam de demonstrar que a estrela do hotel sempre serão seus hóspedes, colaboradores e fornecedores.

Quer saber mais sobre hotelaria? Contrate um consultor


2 comentários:

  1. Oi
    Muito bom esse artigo.
    Estou curiosa sobre o tema pois penso em investir no Ramada Osasco www.ramadaosasco.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todo investimento tem seu risco, assim como na bolsa de valores, você não terá nenhum poder de ação sobre o que é feito ou o como é feito, logo, analisando como investimento em si, é como aplicar na bolsa e a pergunta é: dará o retorno que você precisa no tempo que você precisa?

      Excluir