quarta-feira, 3 de julho de 2013

Desmistificando a ocupação para Copa de 2014

Cezar Nogales
Consultor Hoteleiro
contato@snhotelaria.com.br
Muito se cogita sobre a Copa de 2014, principalmente sobre a ocupação dos hotéis e os preços a serem praticados, mas, afinal de contas, o que realmente poderá acontecer com relação a esta ocupação e tarifas?

De fato isto é uma questão muito simples de ser analisada e sem fazer muito barulho, qualquer gerente capacitado é capaz de fazer uma previsão de ocupação e com certeza estes gerentes já tem seu plano de ação para o ano de 2014.

Para desmistificar estes dados, a SN Hotelaria elaborou uma previsão de ocupação de forma simples e que o leitor será capaz de compreender (vejam as tabelas no final desta postagem) e sem ser muito otimista ou mesmo muito pessimista chegamos ao seguinte resultado:

Se na hipótese de que 2014 não fosse um ano de Copa as ocupações seriam as seguintes:
  • Para Hotéis de Turismo Executivo sua ocupação projetada seria de 58,7%
  • Para Hotéis de Turismo de Lazer sua ocupação projetada seria de 62,5%


Contudo em 2014 teremos copa, fizemos a analise anterior apenas para controle, logo as ocupações seriam:
  • Para Hotéis de Turismo Executivo sua ocupação projetada seria de 65,0%
  • Para Hotéis de Turismo de Lazer sua ocupação projetada seria de 64,4%


Como podem observar, não é grande a diferença entre a ocupação controle e a ocupação prevista para o ano de 2014 com uma Copa no meio, no caso do turismo de lazer ela chega até ser menos da metade do turismo de negócios ou executivo.

E com relação as tarifas, como fica?
As pessoas até parecem se esquecer de que vivemos numa democracia capitalista, logo, em qualquer democracia capitalista o que vale é a oferta e a procura, já se foi o tempo de preços congelados ou controle governamental o que era feito na ditadura militar até 1988 e esta modalidade apenas ocorre hoje em países com este formato de administração (a China é um exemplo disto, lá o hotel é obrigado a colocar até a classificação que lhe foi imposta pela agencia reguladora de meios de hospedagem).

Sendo assim e de acordo até mesmo com o código do consumidor os preços a serem praticados não podem ser maiores do que os preços anunciados, sejam eles pela internet ou pelo tarifário existente (e obrigatório) em todas as recepções dos hotéis a esta tarifa se denomina técnicamente de Tarifa Balcão, logo nenhuma diária pode ser maior que esta tarifa anunciada.

Não nos esqueçamos que preços promocionais, pacotes e descontos não se aplicam a esta regra uma vez que são justamente promoções, pacotes e descontos que são ofertados sobre a tarifa balcão.

Assim como quando há um produto escasso e muita procura numa democracia capitalista os preços tendem a subir e o contrário é válido, quando há pouca procura e muita oferta os preços tendem a baixar. (eu, nos meus 42 anos de vida nunca vi ninguém reclamar quando as diárias eram baixíssimas e havia muita oferta hoteleira).

Com isto tenham certeza que os gerentes capacitados já se planejaram e cortaram todo e qualquer desconto no período de maior ocupação e aplicaram vários descontos e promoções nos períodos de menor ocupação, afinal de contas, (além de ser o que eu faria) não serão apenas 30 dias que farão o ano se realizar e todos os hotéis, sem exceção, tem de pagar os funcionários o ano todo além de várias outras contas (obviamente que haverá a necessidade de extras no período, mas isto é outra história).

Para os que não estão acostumados com previsões e quiserem baixar a tabela em Excel ou mesmo em PDF, acessem o site: www.snhotelaria.com.br e dirija-se à aba Artigos, ali você as encontrará para baixar no seu PC.

Analisem agora as tabelas (clique na imagem para ampliar)




3 comentários:

  1. Em que pese a incontestável capacidade de lidar com números, que o Mário tem, e o seu indiscutível tino administrativo e tão bem como eu saber que não há hotéis que não deem lucro, há hotéis mal administrados. Vejo o período copa com uns 2 ou 3% de otimismo exagerado, já que não serão os trinta dias numa mesma região, e no meu caso já dirigi hotéis de 298 Uhs com 100% de ocupação e pasmem isso não existe o máximo é 98%. De qualquer forma acho os dados aqui deixados pelo Mário de Alta relevância mas parceiro me conte, não dá para fechar o ano com menos de 69% Alto... E com muita rentabilidade, mas para isso precisa saber-se um pouquinho mais, principalmente trabalhar sem que os outros notem o quando o nosso preço subiu de uma semana para a oura. Mas para isso a Águia e SN consultoria se juntaram e dão cursos e consultorias capacitando gestores para essa prática. SUCESSO - Que todos tenham resultados tão bons, qua a copa passe desapercebida.

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito da abordagem Mario, e infelizmente tenho que ressaltar que nem todos fazem a lição de casa, estive no Nordeste na época da Copa das Confederações e no ato da reserva (2 meses de antecedência) os valores das tarifas ainda eram os mesmos de uma época "comum". Só mesmo quando chegou o mês da copa é que se deram conta das reservas previamente feitas, mas aí já era tarde. Com isso que tal um texto explicando os conceitos básicos do Yield Management e também dizendo de quanto em quanto tempo a lição de casa precisa ser feita. Grande Abraço. Henrique Antevere

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico agradecido com a participação Henrique e com certeza farei um artigo relacionado, afinal de contas yeld e revenue management são ferramentas práticas e que devem ser usadas no dia a dia de uma gestão competente.

      Excluir