sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Falta D'água em São Paulo?


Devido ás últimas noticias veiculadas e o burburinho de que haverá um grande racionamento hídrico na cidade de São Paulo o medo e pânico gerado entre a população chega as margens do terrorismo psicológico e o que não passa de uma farsa sem tamanho acabará possivelmente se tornando em mais um disparate para esconder os fatos de verdade. Mas a pergunta que mais me intriga é: “O que os governantes e grandes corporações estão escondendo?”.
Vamos então partir para a lógica:

Quem mais consome água?
Segundo pesquisas realizadas 69% da agua potável é utilizada pela agroindústria, outros 22% da água portável é utilizada pela indústria e comercio, ficando apenas 9% para as residências, na cidade de São Paulo por não termos zona rural a indústria consome cerca de 40% de toda a agua potável, ficando a população ainda com índices que chegam até 20%, os outros 40% obviamente ficam por conta do comercio, logo não é apenas a redução no consumo das casas das pessoas que fará a diferença.


Houve de fato redução da quantidade de água disponível?
Para quem ainda não sabe, vivemos num planeta chamado Terra onde 70% dele é constituído de água, toda esta água não é potável in natura, apenas 3% de toda a água do planeta é potável (própria para consumo) pelos seres humanos, plantas, etc., os restantes 97% é constituído de agua não potável mas que pode ser tratada para consumo (haja visto as tecnologias existentes a mais de 2 séculos como os filtros de osmose). Destes 3% de água potável, 71% dela está em forma de gelo nas calotas polares. Como o processo de transporte dessas geleiras é caro e também pouco eficaz, quase não há atividades referentes ao abastecimento de localidades através do manuseio de icebergs. Os outros 29% restantes de água potável no mundo estão distribuídos em águas subterrâneas com 18%, rios e lagos com 7% e umidade do ar com 4%.

No caso do Brasil, há certo privilégio, pois somos o país que possui a maior disponibilidade de água potável, com cerca de 11% do total. Agora imaginem com a atual crise mundial de água quem se torna o centro das atenções?

O Brasil, como já disse o filosofo Pondé, seria um sonho em se tornar um país capitalista pois ainda não deixamos de ser colônia, e como colônia devemos obedecer o que o colonizador nos quer ditar (através de um governo que claramente está trabalhando para uma agenda internacional que nada tem haver com o bem da população brasileira).

Sem querer ser muito cientifico, Nosso país tem a maior riqueza natural planetária que é a agua potável e este produto é tão estratégico que em caso de guerra o primeiro alvo a ser mirado são justamente os recursos hídricos.

No caso da cidade de São Paulo, ainda por cima, estamos sentados no berço esplendido do Aquífero Guarani que vai desde o Mato Grosso até as portas de Buenos Aires e com ele é possível sustentar toda a América do Sul por até 50 anos sem que seja reposto sequer uma gota de chuva.
Fora o fato de que é possível se obter na internet vídeos realizados por bravos paulistanos demonstrando que a represa de Cantareira não está vazia como dizem os meios de comunicação e de que está “terminantemente proibido” filmar naquela região que é patrulhada pela policia florestal.
Logo e com esta explanação já é possível se ter uma ideia de que a falta de agua na cidade não passa de uma miragem com propósitos obscuros à população.

O que isto tem haver com os Hotéis?
Como já ouvi uma vez “conhecimento traz conhecimento” logo se há uma crise gerada pelos disparates do governo querendo culpar um “bode expiatório” para dissipar qualquer culpa ou falta de investimentos ou pela corrupção que já sabemos que existe o que podemos fazer?
Levantar armas e sair bradando por ai justiça não leva a caminho nenhum pois esta seria uma das possíveis reações esperadas pelos governantes que já estão preparados.

Ficar quieto e “deixar rolar” como dizem por ai? Também devemos nos lembrar de que o mal só vence se o bem não fizer nada.

Hotéis são responsáveis por 3% da economia brasileira, logo é responsável por 3% dos recursos hídricos e como gestores de hospitalidade nada melhor do que entregar aquilo que o hóspede deseja, então comecemos a fazer a nossa parte.

Você sabia que é possível perfurar poços artesianos? Logicamente que hoje também se trata de controle e como qualquer controle há de se lavrar uma licença, mas mesmo assim, se há a disponibilidade de perfurar poços para obtenção de água, mesmo que tenhamos que ir a prefeitura “pedir licença” é uma boa opção, assim você já de cara reduz em mais da metade o seu consumo pela distribuidora.

Outra opção é começar a coletar água de chuva e sendo bem tratada pode até servir para consumo, a química para isto não é muito complicada e de fácil acesso, e como sei disto se não sou químico? Quando servi ao exercito brasileiro tínhamos pastilhas de cloro que colocávamos no cantil e nos servíamos de agua com lodo e sabe-se lá o que mais e ninguém passava mal e como não fugi da escola e também sei por força da profissão os métodos de limpeza de caixas de agua e piscinas não me resta nada mais do que me aprofundar no assunto (se necessário).
E se você está próximo ao mar, pode coletar água salgada e filtra-la com o filtro de osmose desenvolvido pela própria EMBRAPA.




Estes acontecimentos de fato nos dão a oportunidade de nos tornarmos melhores administradores, principalmente quanto a cidade de São Paulo, vejam que o consumo da Cidade do Rio de Janeiro é 75% superior ao paulistano e lá não há falta deste recurso, porque então será que só falta na cidade de São Paulo, mesmo com chuvas e represas cheias?









Mario Cezar Nogales
Consultor especialista em hotelaria








Nenhum comentário:

Postar um comentário